portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

21 247 65 00

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Dinamismo do imobiliário impulsiona construção e obras públicas no 1.º semestre

2017-10-08

O recorde das vendas no mercado imobiliário até junho, que cresceram 18% em número e 25% em valor, impulsionou a construção e obras públicas.

O recorde das vendas no mercado imobiliário até junho, que cresceram 18% em número e 25% em valor, impulsionou a construção e obras públicas, com o valor dos concursos promovidos e contratos celebrados a aumentar 91% e 83% até agosto.

“O primeiro semestre de 2017 bateu o recorde dos últimos nove anos em termos de transações semestrais de fogos habitacionais, tanto em número como em valor”, refere a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) na sua análise de conjuntura de setembro, divulgada esta sexta-feira.

Até junho, refere, foram transacionados em Portugal 72 mil fogos, num montante total de 8,9 mil milhões de euros, refletindo crescimentos de 18% em número e de 25% em valor face ao período homólogo de 2016.

Segundo a federação, em linha com o que vem acontecendo desde 2013, foi a venda de fogos já existentes “a principal responsável pelo forte dinamismo” do primeiro semestre de 2017, com crescimentos de 21% em número e de 31% em valor que levaram a um “aumento acentuado” no volume de trabalhos de reabilitação/renovação.

Já as transações de fogos novos apenas cresceram 4% em número e 6% em valor até junho.

Em termos regionais, foi a Área Metropolitana de Lisboa que concentrou, “de forma destacada”, a maior fatia das transações efetuadas ao longo do primeiro semestre – 35% do total em número e 48% em valor – com crescimentos de 17% e de 29%, respetivamente, face a 2016.

A Área Metropolitana de Lisboa foi igualmente a zona onde o valor médio de transação por fogo foi mais elevado – 168,6 mil euros – 10,2% acima do valor observado nessa região em 2016 e 36,6% acima da média nacional observada em 2017 (123,5 mil euros/fogo).

De acordo com a FEPICOP, “a estes significativos crescimentos do mercado imobiliário juntam-se as variações igualmente favoráveis que se vêm registando nos restantes segmentos do setor da construção, nomeadamente no mercado das obras públicas, com evoluções de +91% e de +83%, até agosto, nos montantes dos concursos promovidos e dos contratos celebrados, respetivamente”.

Tendo por base estes dados e ainda os “crescimentos mais intensos nos últimos 20 anos” das variáveis FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo) Construção e do VAB (Valor Acrescentado Bruto) Construção — com crescimentos homólogos até junho de 9,6% e 7,5%, respetivamente – a federação faz uma “leitura positiva” da evolução da construção este ano.

Fonte: http://observador.pt/2017/09/29/dinamismo-do-imobiliario-impulsiona-construcao-e-obras-publicas-no-1-o-semestre/

IMI. Governo mantém preço por metro quadrado nos 615 euros
Elemento que tem impacto no cálculo do valor patrimonial tributário dos prédios urbanos não sofre alterações em 2020. O valor por metro quadrado (m2) para efeitos de

Licenciamentos de obras de construção e reabilitação a crescer no mercado residencial
O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal, que se traduzem em maior oferta de produto, num momento em que profissionais do imobiliário reclamam falta

Construtoras trocam cimento por cânhamo para reduzir poluição
Os campos de cânhamo que brotam numa parte do Canadá mais conhecida pela sua gigante reserva de petróleo mostram como as mudanças climáticas têm transformado o setor da

Construção está muito focada no segmento de luxo
Habitações para classe média não chegam para satisfazer procura. Reabilitação fez subir os preços das rendas A seguir Rendas sobem 268€ desde 2012 e prestações da casa

Ministério do Mar aprova candidatura para construção de nova ponte-cais em Sesimbra
APSS prevê lançar concurso de empreitada em Julho. Nova ponte-cais vai permitir separar barcos de pesca das embarcações de recreio A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino,

Cidadãos ponderam travar construção de prédio da Portugália nos tribunais
A ausente, mas sempre presente na discussão, foi a Câmara de Lisboa, ainda que lá tenha estado o seu vice-presidente, que se manteve em silêncio. Projecto está em discussão