portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

21 247 65 00

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Construção mantém dinamismo no 2.º trimestre

2018-08-26

O Inquérito ao Emprego mostrou que trabalharam, em média, 315,7 mil pessoas na construção, uma subida de 12 mil em relação ao trimestre anterior. A seguir Falta de operários põe em risco crescimento da construção Mais vistas ECONOMIA MUNDIAL Estas nações vão mandar no mundo em 2050 RIQUEZA O que se pode comprar com 1 milhão de euros (o salário de Cristina Ferreira) DÍVIDAS Sabe quanto tempo demora uma dívida a prescrever? TECNOLOGIA Este smartphone é low cost por fora mas topo de gama por dentro A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (Falta de operários põe em risco crescimento da construção) afirmou esta terça-feira que a construção mantém “o dinamismo” no 2.º trimestre, mas que há “uma quebra no valor lançado a concurso” em obras públicas. Em comunicado, com base na estimativa rápida das Contas Nacionais Trimestrais do INE, a FEPICOP referiu que o desempenho do setor da construção manteve-se positivo, “com a evolução dos diversos indicadores associados à sua atividade a revelar-se favorável”.

O Inquérito ao Emprego mostrou que trabalharam, em média, 315,7 mil pessoas na construção no segundo trimestre, numa subida de 12 mil em relação ao trimestre anterior. Em termos acumulados até junho, houve uma subida marginal de 100 trabalhadores para um total de 309,8 mil, na comparação homóloga. “A confirmar este aumento do emprego, regista-se uma quebra no número de desempregados oriundos da construção e inscritos nos centros de emprego: -26,5%, em maio”, segundo a informação da federação. Uma evolução positiva também foi notada no consumo de cimento, com as seguintes variações homólogas: +2,9%, +3,6% e +4,7%, até maio, junho e julho de 2018, respetivamente. Quanto ao investimento privado, o número de fogos habitacionais licenciados aumentou, em termos homólogos, 36% durante os primeiros seis meses, enquanto a área de construção licenciada subiu 33%. Na construção não residencial privada, o crescimento da respetiva área licenciada foi de 6% até junho, com aumentos de 48% nas áreas para comércio e 16% para a indústria. Em sentido contrário, as áreas de edifícios destinados ao turismo e aos transportes desceram 51% e 82%, respetivamente. “Só a evolução dos dados relacionados com o mercado das obras públicas, e apurados com base na informação disponibilizada no PortalBase, é menos animadora, já que no que concerne ao lançamento de obras regista-se uma quebra no valor lançado a concurso (-7% face ao primeiro semestre de 2017)”, lê-se. Porém, nos “contratos celebrados, a dinâmica é positiva, com o montante total dos contratos de empreitadas de obras públicas celebrados a crescer 12% em termos homólogos, até Junho”.

Fonte: https://www.dinheirovivo.pt/economia/construcao-mantem-dinamismo-no-2-o-trimestre/

Licenciamentos de obras de construção e reabilitação a crescer no mercado residencial
O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal, que se traduzem em maior oferta de produto, num momento em que profissionais do imobiliário reclamam falta

Construtoras trocam cimento por cânhamo para reduzir poluição
Os campos de cânhamo que brotam numa parte do Canadá mais conhecida pela sua gigante reserva de petróleo mostram como as mudanças climáticas têm transformado o setor da

Construção está muito focada no segmento de luxo
Habitações para classe média não chegam para satisfazer procura. Reabilitação fez subir os preços das rendas A seguir Rendas sobem 268€ desde 2012 e prestações da casa

Ministério do Mar aprova candidatura para construção de nova ponte-cais em Sesimbra
APSS prevê lançar concurso de empreitada em Julho. Nova ponte-cais vai permitir separar barcos de pesca das embarcações de recreio A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino,

Cidadãos ponderam travar construção de prédio da Portugália nos tribunais
A ausente, mas sempre presente na discussão, foi a Câmara de Lisboa, ainda que lá tenha estado o seu vice-presidente, que se manteve em silêncio. Projecto está em discussão

Emprego da construção recupera
Número de trabalhadores na construção não era tão elevado desde 2013, revela a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP). A