portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

212 476 500

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Dinamismo do imobiliário impulsiona construção e obras públicas no 1.º semestre

2017-10-08

O recorde das vendas no mercado imobiliário até junho, que cresceram 18% em número e 25% em valor, impulsionou a construção e obras públicas.

O recorde das vendas no mercado imobiliário até junho, que cresceram 18% em número e 25% em valor, impulsionou a construção e obras públicas, com o valor dos concursos promovidos e contratos celebrados a aumentar 91% e 83% até agosto.

“O primeiro semestre de 2017 bateu o recorde dos últimos nove anos em termos de transações semestrais de fogos habitacionais, tanto em número como em valor”, refere a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) na sua análise de conjuntura de setembro, divulgada esta sexta-feira.

Até junho, refere, foram transacionados em Portugal 72 mil fogos, num montante total de 8,9 mil milhões de euros, refletindo crescimentos de 18% em número e de 25% em valor face ao período homólogo de 2016.

Segundo a federação, em linha com o que vem acontecendo desde 2013, foi a venda de fogos já existentes “a principal responsável pelo forte dinamismo” do primeiro semestre de 2017, com crescimentos de 21% em número e de 31% em valor que levaram a um “aumento acentuado” no volume de trabalhos de reabilitação/renovação.

Já as transações de fogos novos apenas cresceram 4% em número e 6% em valor até junho.

Em termos regionais, foi a Área Metropolitana de Lisboa que concentrou, “de forma destacada”, a maior fatia das transações efetuadas ao longo do primeiro semestre – 35% do total em número e 48% em valor – com crescimentos de 17% e de 29%, respetivamente, face a 2016.

A Área Metropolitana de Lisboa foi igualmente a zona onde o valor médio de transação por fogo foi mais elevado – 168,6 mil euros – 10,2% acima do valor observado nessa região em 2016 e 36,6% acima da média nacional observada em 2017 (123,5 mil euros/fogo).

De acordo com a FEPICOP, “a estes significativos crescimentos do mercado imobiliário juntam-se as variações igualmente favoráveis que se vêm registando nos restantes segmentos do setor da construção, nomeadamente no mercado das obras públicas, com evoluções de +91% e de +83%, até agosto, nos montantes dos concursos promovidos e dos contratos celebrados, respetivamente”.

Tendo por base estes dados e ainda os “crescimentos mais intensos nos últimos 20 anos” das variáveis FBCF (Formação Bruta de Capital Fixo) Construção e do VAB (Valor Acrescentado Bruto) Construção — com crescimentos homólogos até junho de 9,6% e 7,5%, respetivamente – a federação faz uma “leitura positiva” da evolução da construção este ano.

Fonte: http://observador.pt/2017/09/29/dinamismo-do-imobiliario-impulsiona-construcao-e-obras-publicas-no-1-o-semestre/

Clandestinidade passou a ser o maior problema da construção
Já não é a falta de obras e já não é a dificuldade no acesso ao crédito. Agora o principal problema com que se debate o sector da construção é a concorrência desleal e

Produção na construção cresce pelo nono mês seguido
A taxa de crescimento registada em Setembro igualou a verificada em Agosto, que já tinha sido a mais elevada do ano. O índice que mede a evolução da produção na

Três projetos portugueses vencem prémio internacional
Um espaço comercial, um centro pastoral e um parque tecnológico portugueses venceram o prémio internacional de arquitetura "The American Architecture Prize

Empresas de construção do Minho podem ter papel importante no México
Portugal tem merecido uma atenção acrescida por parte dos investidores mexicanos. As políticas anti-México de Donald Trump vêm abrir novas oportunidades de negócio com

Crise angolana não abala interesse português na construção
Feira Projekta Angola está de regresso a Luanda de 26 a 29 de outubro A seguir Inflação em Angola deverá subir para quase 23% em 2017 Mais vistas EMOJIS É mesmo isso que quer

DST constrói empreendimento com 50 apartamentos de luxo nas Amoreiras
O Amoreiras Vista terá 50 apartamentos, com tipologias T1 a T6, distribuídos por sete pisos acima do solo. Estará concluído no primeiro semestre de 2019. O grupo DST