portugues ingles frances espanhol alemao
Apoio ao Cliente
9H-13H e 14H-18H

21 247 65 00

Faça Login ou
adira ao Portal Líder

Log In | Novo registo
Bem-vindo/a, Visitante
voltar

Promotores imobiliários em "pé de guerra" com Governo, BE e PS

2016-09-02

"Um verdadeiro ataque à propriedade e, mais grave que isso, ao setor imobiliário". É desta forma que a Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliários (APPII) classifica as propostas de alteração ao arrendamento urbano e ao Regime Jurídico das Obras em Prédios Arrendados, apresentadas pelo grupo de trabalho de Políticas de Habitação, Crédito Imobiliário e Tributação do Património Imobiliário, constituído pelo representantes do Governo, BE e PS.

"É com surpresa que estamos a assistir à destruição dos mecanismos que foram criados nos últimos anos" para dinamizar o arrendamento e a reabilitação urbana, afirmou o secretário-geral da APPII, Hugo Santos Ferreira, em comunicado, citado pela Lusa.

A associação de promotores imobiliários diz estar contra as propostas de alteração ao Novo Regime do Arrendamento Urbano (NRAU) e ao Regime Jurídico das Obras em Prédios Arrendados (RJOPA).

"Estas medidas vão voltar a enfraquecer o arrendamento, o que vai acabar com a reabilitação e com o afastamento de muitos investidores", alerta o responsável, frisando que os investidores têm visto com "bastante insatisfação e descrédito" a volatilidade das políticas portuguesas.

Fim do BNA prejudica senhorios e inquilinos

A associação opõe-se à extinção do Balcão Nacional do Arrendamento (BNA), argumentando que, "contrariamente ao que vem sendo referido, este não é o "balcão dos despejos"".

"O BNA foi criado para obviar a um dos principais problemas em Portugal: a morosidade da nossa justiça, que tanto prejudica senhorios como inquilinos", referiu o secretário-geral da APPII, frisando que o arrastar destes processos provocará apenas "um enorme prejuízo" para as cidades portuguesas, que vão ter os prédios a degradarem-se cada vez mais.

"Senhorio social é uma ilusão"

A associação de promotores imobiliários, segundo conta a agência de notícias, rejeita ainda a criação da figura do "senhorio social", advogando que é "uma ideia irreal e de muito difícil implementação".

O responsável da associação APPII questiona se o Estado tem "capacidade financeira para conceder tamanhos benefícios fiscais aos privados que queiram seguir este caminho" de "senhorio social", de modo a garantir a diferença entre o valor que ganhariam em continuar no mercado livre e o que passariam a receber pela via do Estado através da concessão de benefícios fiscais.

"Se a resposta for negativa, então a figura do "senhorio social" é uma ilusão e não terá sucesso, por falta de adesão", garante Hugo Santos Ferreira, referindo que ao Governo "basta aplicar o que já está aprovado e dar finalmente aplicação ao subsídio de renda", que visa ajudar os inquilinos mais desfavorecidos a pagar a diferença entre aquilo que podem pagar e a renda que os proprietários podem exigir por lei.

A par da extinção do BNA e da criação do "senhorio social", a APPII está também contra o eventual prolongamento por cinco anos do congelamento de rendas para alguns inquilinos e contra a proteção das lojas históricas.

Fonte:https://www.idealista.pt/news/imobiliario/habitacao/2016/09/01/31462-promotores-imobiliarios-em-pe-de-guerra-com-governo-be-e-ps

IMI. Governo mantém preço por metro quadrado nos 615 euros
Elemento que tem impacto no cálculo do valor patrimonial tributário dos prédios urbanos não sofre alterações em 2020. O valor por metro quadrado (m2) para efeitos de

Licenciamentos de obras de construção e reabilitação a crescer no mercado residencial
O mercado residencial continua a dar sinais de dinamismo em Portugal, que se traduzem em maior oferta de produto, num momento em que profissionais do imobiliário reclamam falta

Construtoras trocam cimento por cânhamo para reduzir poluição
Os campos de cânhamo que brotam numa parte do Canadá mais conhecida pela sua gigante reserva de petróleo mostram como as mudanças climáticas têm transformado o setor da

Construção está muito focada no segmento de luxo
Habitações para classe média não chegam para satisfazer procura. Reabilitação fez subir os preços das rendas A seguir Rendas sobem 268€ desde 2012 e prestações da casa

Ministério do Mar aprova candidatura para construção de nova ponte-cais em Sesimbra
APSS prevê lançar concurso de empreitada em Julho. Nova ponte-cais vai permitir separar barcos de pesca das embarcações de recreio A ministra do Mar, Ana Paula Vitorino,

Cidadãos ponderam travar construção de prédio da Portugália nos tribunais
A ausente, mas sempre presente na discussão, foi a Câmara de Lisboa, ainda que lá tenha estado o seu vice-presidente, que se manteve em silêncio. Projecto está em discussão